Crucificando escolhas.

Repara bem,
olha seu horizonte,
quantas cores tem?

Imagina que tanto de tinta,
umas berrantes,
outras distintas,
algumas até,
quase extintas.

Então,
uma turma,
gosta de uma.
E quer que essa,
seja a única!

Que bobinhos!

Não é assim não,
existem muitas outras,
várias,
um montão...
depende da ocasião;
se é festa,
velório,
ou reunião.

Se é de dia,
de noite,
inverno ou verão.

Pois então,
para com isso.

Quem escolhe a cor que gosta,
é cada ser,
não os nobres cidadãos.

Não sei se sabe,
mas cada um
tem sua própria opinião.

Nem me venha com imposição.

Essa cor que você gosta,
eu...não ligo não.
Acho até bonita,
diferente,
mas não me é,
atraente.

E a vida,
assim deve ser,
cada ser,
com seu querer,
sem uma ordem,
imposta,
mas sim,
o escolher,
com o livre arbítrio,
do querer,
do não querer,
para a liberdade,
acontecer,
sem distorcer
a lealdade,
de cada ser.
------------------
Marco Paschoal

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pra você.

Ser Ilha!